domingo, 9 de novembro de 2014

Dom Fulton Sheen - Filosofias em Luta

Excerto do livro Filosofias em Luta


"Neste ambiente de alheamento a Deus e descristianização do modo de pensar e de planejar, o julgamento e os atos dos homens foram compelidos a se tornarem materialista e unilaterais, a lutarem pela mera grandeza e expansão desenfreada de um acréscimo de bens ou de poder, numa corrida pela produção mais rápida, opulenta e perfeita, de todas as coisas que pareciam conduzir ao desenvolvimento e progresso materiais. Esses sintomas mesmo surgem em política, como a pretensão ilimitada ao expansionismo e à influência, sem atender a padrões morais; na vida econômica, manifestam-se pelo predomínio de gigantescos cartéis e trustes; na esfera social é a mesma aglomeração de populações desmedidas em cidades e nos distritos dominados pela indústria e pelo comércio, aglomeração acompanhada pelo completo desenraizamento das massas, que perderam padrões de vida, lar, trabalho, amor e ódio. Devido a esta nova concepção do pensamento e da vida, todas as noções da vida social ficaram imbuídas de características puramente mecânica."

SHEEN, Fulton J. Filosofias em luta. Trad. De Cypriano Amoroso Costa. Rio de Janeiro: Livraria Agir Editora, 1946, p. 51

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Oração do beato John Henry Newman pelos fiéis defuntos:

Ó Deus dos espíritos de toda a carne, ó Jesus, amante das almas, recomendamos a vós as almas de todos os vossos servos, que partiram com o sinal da fé e dormem o sono da paz. Nós vos suplicamos, ó Senhor e Salvador, que, assim como em vossa misericórdia para com eles vos tornastes homem, assim também apresseis o tempo e os admitais em vossa presença.

Lembrai-vos, Senhor, de que eles são criaturas vossas, feitas não por deuses estranhos, mas por Vós, o único Deus vivo e verdadeiro; pois não há outro Deus senão Vós e não há ninguém que possa igualar as vossas obras. Deixai que as suas almas se regozijem na vossa luz e não imputeis a elas as suas antigas iniquidades, que cometeram por causa da violência da paixão ou dos hábitos corruptos da sua natureza caída. Apesar de terem pecado, eles sempre acreditaram firmemente no Pai, Filho e Espírito Santo; e, antes de morrerem, reconciliaram-se convosco pela verdadeira contrição e pelos sacramentos da vossa Igreja.

Ó Senhor da graça, nós vos suplicamos: não vos lembreis, contra eles, dos pecados da sua juventude e das suas ignorâncias, mas, conforme a vossa grande misericórdia, estai-lhes atento em vossa glória celestial.

Que os céus se lhes abram e os anjos com eles se alegrem. Que possa o arcanjo São Miguel conduzi-los a Vós. Que possam os vossos santos anjos irem ao seu encontro e levá-los à cidade da Jerusalém celeste. Que possa São Pedro, a quem destes as chaves do reino dos céus, recebê-los. Que possa São Paulo, o vaso de eleição, lhes dar apoio. Que possa São João, o discípulo amado a quem foi dada a revelação dos segredos do céu, interceder por eles. Que todos os Santos Apóstolos, que receberam de Vós o poder de ligar e desligar, rezem por eles. Que todos os santos e eleitos de Deus, que neste mundo sofreram tormentos por vosso nome, lhes sejam amigos. Que, libertos da prisão inferior, sejam eles admitidos na glória do reino em que, com o Pai e o Espírito Santo, viveis e reinais como único Deus pelos séculos dos séculos.

Vinde em seu auxílio, vós todos, ó santos de Deus; ganhai-lhes a libertação do seu lugar de punição; ide ao seu encontro, todos vós, ó anjos; recebei essas almas santas e apresentai-as perante o Senhor.
Dai-lhes, Senhor, o descanso eterno e a luz perpétua brilhe sobre eles. Que descansem em paz. Amém.

Receba nossas atualizações