sábado, 17 de setembro de 2011

O que os defensores do aborto esqueceram?

Autoria do Amigo da Cruz

Os defensores da legalização do aborto esqueceram-se de um detalhe: que seria deles se suas mães os tivessem abortados? Até para defender a morte de outros é preciso estar vivo! Gostaria de saber se, por acaso, todos os cidadãos decidissem que de hoje em diante os defensores do aborto é que deveriam realizá-los e cuidar das mães que o fazem. Caso se recusasse pudessem ser preso por descumprimento da lei. Gostaria de saber se eles aceitariam! Já que querem matar, que vocês matem então, mas devem dar todo o apoio necessário para a mãe seja pré ou pós-aborto.

Os mesmo argumentos que eles utilizam para criticar a oposição às suas convicções se aplicam ainda mais sobre eles. Quem tem se organizado e lutado para legalizar o aborto? Esses grupos estão muito bem organizados, sua agenda comum os impulsionam a criarem estratégias para aos poucos irem ganhando espaço com suas ideias. Depois, quando se chocam com resistências, eles se colocam no lugar de coitadinhos e dizem que a turma do mal está contra eles.

Talvez o fato mais curioso seja o de generalizar que as opiniões contrárias ao aborto são unicamente religiosas. Ora, isso é colocar barreiras para o diálogo. Se muitos os que defendem a vida são adeptos de uma religião, isso só confirma que as religiões são - ou deveriam ser -, protetoras dos direitos e da dignidade humana. As opiniões contrárias ao aborto podem ser filosófica, biológica, moral, religiosa, ética, sociológica, cultural etc. Mas acontece que precisam aplicar seu programa e, qual o caminho mais fácil? Generalizar que seus opositores possuem opinião religiosa. Ou seja, de início desqualificam a opinião, pois sabemos que a mentalidade moderna é a de que religião é coisa do passado. Esses tipos de pessoas não estão preocupados com os meios, pouco importa como conseguiram aplicar seu programa, o importante é aplicá-lo.

Outra ironia é dizer que a questão do aborto aplica-se unicamente a mulher, como se a ela coubesse o direito de decidir sobre uma vida. Onde está o pai da criança que será abortada? Onde estão seus direitos? Afinal, ele possui pelo menos 50 % de responsabilidade pela gravidez. E seus direitos de homem que quer ter um filho? A justificativa delas é de que a natureza (injustamente) as impôs árduo fardo de ter de levar por 9 meses um ser estranho dentro de si. E, por trazerem um ser humano em seu corpo, elas estão sendo ‘escravizadas’.

A mentalidade destas ‘feministas’ pode ser comparada como a de crianças ou adolescentes revoltadas, que, de uma hora para outra, decidem fazer tudo o que seja uma afronta do até então normal. Se ter família é normal e natural, para expressarmos nossa autonomia vamos combatê-la; se ser mãe é normal, vamos combater essa mentalidade. É uma anarquia que vêm de uma revolta contra os valores fundamentais e que prega uma falsa autonomia. A defesa do aborto está atrelada também a mentalidade esteticista moderna. As mulheres grávidas ganham alguns quilinhos e saem do estipulado “padrão”. O que vale mais é meu corpo, minha saúde, meu prazer, meus direitos, minha vida. Isso é a prova mais evidente de que o egoísmo e o desejo de auto-suficiência (soberba) são a raiz de todos os males. O amor é o único medicamento eficaz contra essas doenças.

Questiono, às vezes, se de fato o Brasil é o maior país católico do mundo. Constato que em números pode até ser, mas a realidade é diferente. Quantos santos brasileiros nascidos aqui temos? Diga-me pelo menos 5, por favor. Diga-me quantos políticos católicos você conhece? Diga-me quantos médicos, empresários, contabilistas, jornalistas, professores, administradores, colunistas são católicos? Diga-me o nome de 5, por favor. De fato há muitos católicos, ou pelo menos batizados, mas me diga 5 de cada exemplo acima que estão dispostos a aplicarem os princípios da Doutrina Social da Igreja, fonte iluminada pelo Evangelho e ensinamentos do Magistério da Igreja, no seu dia-a-dia?

Estamos nesta situação devido, em parte, pela inércia e desorganização dos católicos que simplesmente deixaram de lado assuntos tão importantes para nossa vida!

O que os defensores do aborto não deveriam se esquecer de agradecerem as suas mães. Dê um beijo nelas e as diga: obrigado mamãe por você ter me dado a luz! Eu te amo!

2 comentários:

  1. Temos que lutar contra esse fragelo da humanidade,com todas as nossas armas .Em defesa da vida sempre .A vida é dádiva de Deus .Não pertence a mãe, ao pai,ao Juiz ,seja lá quem for .Não podemos contribuir para essa crueldade continuar .Se não fazemos nada fechamos os olhos ,somos coniventes,samos todos culpados na LEI DIVINA.

    ResponderExcluir
  2. OI! Agradecemos sua visita. Sinta-se em casa. O que não é difícil para nós cristão acostumados como estamos a sermos generosos e caridosos com todos! O aborto é a negação da vida. É um assassinato!

    ResponderExcluir

Receba nossas atualizações