sexta-feira, 23 de abril de 2010

"CRISTO SIM, IGREJA NÂO!"


Uma grave ferida que à Igreja foi infligida com a Reforma Protestante foi a mentalidade de que se poderia conhecer completamente a face e os ensinamentos de Cristo sem auxílio de uma intituição milenar que recebeu a incubência expecífica de levar o evangelho a todos os povos. 
Fielmente a Igreja Católica tem cumprido com sua missão e cumprirá até a volta de Nosso Senhor Jesus Cristo.

A perigosa mentalidade de que "Cristo sim, Igreja não" tem, desde então, afetado não só a alguns cristãos mas a todos os homens de forma direta ou inderetamente. Decorrência desse erro foi, como já mencionado, a própria reforma protestante que quebra com a tradição da Igreja Católica reservando-se unica e exclusivamente a sua interpretação baseada na Sola Scriptura (só as escrituras), e não em comunhão com a Tradição, Magistério e as Sagradas Escrituras que a Igreja Única de Cristo mantém desde sua origem. Dessa mentalidade que ainda hoje é muito comum decorrem erros graves que tem desfigurado a face de Cristo e a correta comprensão de seus ensinamentos.

O relativismo é fruto direto dessa mentalidade e tem trazido grandes problemas para os homens. Dessa mentalidade que progressivamente foi se modificando, do "Cristo Sim, Igreja não", passamos pelos séculos XVIII e XIX  com uma nova concepção de que "Deus sim, Cristo não", até hoje, século XX e XXI, que estamos chegando ao "Deus Não e o Homem menos ainda". Com essa mentalidade o homem  foi aos poucos obscurencendo sua razão e consciência da sua diginidade em ser filho de Deus, e disso só pode decorrer as priores tragédias, como visto nás praticas de aborto, destruição de células embrionário humanas, milhares de mortos por nazistas e comunistas, etc.  

Gritemos: DEUS SIM! CRISTO SIM! IGREJA SIM!
Por Amigo da Cruz.
-------------------
Confira a palestra do Pe. Paulo Ricardo sobre a errônea mentalidade do "CRISTO SIM, IGREJA NÂO!"

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba nossas atualizações